fevereiro 06, 2013

O caminho que eu trilhei



Vou sentir falta da minha cama, da minha mesinha, do meu despertador.
Da minha mãe gritando comigo, de minha irmã caçula me enchendo o saco.
Dos meus cachorros pulando em minhas pernas quando chego do trabalho, de minha avó ordenando que eu leve uma blusa. Da comida quentinha me esperando quando chego em casa, de ficar acordada até tarde e dormir até meio dia no domingo.
Agora estou aqui, com minha casa e outros móveis, com minhas mascotes diferentes, comida congelada, roupa pelo chão, eu me tornei adulta, eu me tornei alguém.
Postar um comentário